quarta-feira, janeiro 02, 2013

DESEJO NUMERO 1 para 2013 - ARRANJAR UM EMPREGO

     
Hoje é dia de começar a pôr em prática, alguns dos projetos em mente.

O primeiro e mais urgente de todos! A PROCURA DE EMPREGO




Certo é que a nossa economia está quase nula e o emprego tende a aumentar, mas não posso cruzar os braços e correr o risco de perder tudo o que construí com o meu marido ao longo destes anos, isto já para não falar da minha filha que me preocupa bastante... e se não arranjar emprego? como lhe vou dar de comer? Ficarei sem ela?


  Á uns tempos atrás, andava muito deprimida com a vida e no meio de um devaneio, resolvi escrever no meu bloco de notas o que me ia na alma. Pensei em partilhar com o mundo mas nunca tive CORAGEM de o publicar. Mas hoje decidi partilhar aqui no meu blog, talvez porque uma das coisas que deixei ir com o 2012 foi a vergonha...
AVISO que dispenso julgamentos, só o que necessito é de GOOD VIBES e soluções ;)

"Sinto-me triste, muito triste.
Há ano e meio que procuro emprego e nao consigo NADA.
Infelizmente tudo aconteceu em simultâneo com a crise do nosso país e cada vez mais é difícil encontrar alguém que me responda. Muita procura, baixos salários aliados à crise financeira é dose mortal.
Quando saí da empresa onde trabalhava à 16 anos, pensei que iria ser mais fácil...afinal tinha experiência, e formação para abraçar um novo projecto mas...deparei-me com a oferta dos famosos 500 euros... Wow...500 euros! Pohw, isso dá para? Renda de casa? E como com que dinheiro?
E assim me fui deixando estar...afinal estava a ganhar um pouco mais de subsidio de emprego. Continuei na  procura de novo rumo pela net e fui-me deparando com o aumento de exigência a nível de requesitos e claro os 500 euros. Mal acabam de lançar a oferta e aparecem logo 1200 gostos....e nada...nem uma resposta do outro lado. Na maioria das ofertas sou eliminada pelo factor idade! Tenho 38 anos e a maioria pede pessoas  até aos 30 ou no máximo 35. SOU VELHA PARA TRABALHAR... Porra será que os mais de trinta nao têm capacidade para laborar? Não consigo perceber! O factor experiência nao conta?
No outro dia fui a mais uma empresa de trabalho temporário para me inscrever, senti-me tão mal!
A Sra. que me atendeu deu-me um impresso para colocar os meus dados pessoais e mandou-me ir para um canto preenchê-lo,  possivelmente para não lhe tapar a vista, já que a conversa entre ela e a colega era bem pessoal e em nada tinha a ver com a empresa. E lá fui para o canto preencher o dito. Quando terminei, dirigi-me à Sra. e perguntei qual seria o passo seguinte? Obtive como resposta -tem que aguardar.
Perguntei também se tinham algum site onde eu pudesse ver as ofertas? Respondeu - sim temos mas pode ir vendo no net empregos. E lá continuou a falar com a outra sobre o marido.
Voltei a interrompê-la e perguntei se nao seria melhor ficarem com o meu curriculo para juntar ao impresso com os meus dados e obtive como resposta:  - pode ser.
Entreguei o curriculo e saí com a vontade de lhe ter dado um murro no fucinho! Entrei no meu carro e disse 10 asneiras seguidas para aliviar a tensão e a revolta.
Achei aquele desprezo e aquela falta de profissionalismo uma aberração, especialmente porque se trata da procura de emprego... Se não gosta do que faz...deixe a vaga para outro!
Acho isto da procura de emprego humilhante! Somos mal tratados! Andamos a pedinchar por uma merda de um salário e de uma vaga e ainda somos olhados de lado! É como se tivéssemos uma doença rara e contagiante! Somos os parasitas que vivem à conta do estado! Os indesejáveis !
Estou a pouco mais de 15 dias de deixar de receber subsidio e não sei o que fazer, nem o que pensar, nem como reagir a este problema. Tenho uma filha de 12 anos, renda de casa para pagar e carro para pagar, fora tudo o resto...e agora? Choro? Bato em alguém? Grito à porta de alguém? Vou roubar?
Tenho tentado postar aqui no blog temas que em nada têm a ver com este, na tentativa de me abstrair deste grande problema que tenho em mãos, aliás foi por isso que o criei. É o meu escape...enquanto sonho, mantenho-me de pé! Mas hoje nao aguentei, estou a desabar em câmara lenta e a perder tudo...até a vergonha! Possivelmente daqui a 1 mês nem net vou ter para poder vir aqui postar a minhas coisas :( "


Numa das minhas tentativas de ocupação de TEMPO, descobri este artigo aqui pela net, escrito pela Juliana Iorio, e que descreve muito bem o dia a dia de uma desempregada.
 
Crónica de uma mulher desempregada

Chegar aos 35 anos e ficar desempregada não é nada fácil. A primeira fase pela qual passamos é: "E agora?" Daí vem o DESESPERO e pensamos "se eu não arrumar um trabalho logo, vou enlouquecer!" Mas... passado umas duas semanas, vem a fase do CONFORMISMO: "é... não adianta nada de nada, eu ficar assim...", nesta fase temos que tomar muito cuidado para não cairmos em depressão... Mais umas duas semaninhas, e entramos na fase da ACEITAÇÃO, ou seja, começamos a ver o lado bom de estar desempregada. Aí temos que tomar cuidado para não nos acomodarmos com esta situação, pois, quanto mais tempo ficamos desempregadas, mais nos acostumamos com isto, e, deste modo, mais dificuldade teremos em voltar a trabalhar.

   Muitos dos que me lêem neste momento devem estar a perguntar: "Mas qual é o lado bom de estarmos desempregados?" Pois bem... primeiro, temos TEMPO! Tempo de sobra para fazer tudo! E temos que saber gerir este tempo, porque, caso contrário, ele passa, e não fazemos nada! Gerir o tempo não é uma tarefa fácil... ainda mais quando se tem tempo de sobra! Eu diria mesmo que: "Gerir o tempo quando ele sobra é tão complicado como gerí-lo quando ele falta!" Paradoxal? Talves... mas que é verdade, é!

Mas enumerando as vantagens de se estar desempregado, podemos dizer que:
1 - Não precisamos acordar cedo! Mas também não convém acordarmos tarde... se não, além do dia não render, quando voltarmos a trabalhar estaremos muito mal habituados! Porém, neste momento, devemos aproveitar o facto de NÃO TERMOS de ir dormir cedo, porque amanhã NÃO TEREMOS de acordar cedo!
2 - Podemos tomar o pequeno almoço com calma (Conhece alguém que trabalha e toma o pequeno almoço com calma?)
3 - Podemos tomar banho com calma...
4 - Sentar no computador, ver e-mails, enviar currículos e... escrever coisas como esta! É claro que se estivéssemos a trabalhar, jamais teríamos tempo de escrever coisas como esta!
5 - Podemos, finalmente, fazer uma actividade física! Agora temos tempo! Mas... eu sei, eu sei... não temos dinheiro... Mas isso não é desculpa! Sempre podemos caminhar, correr... enfim... temos tempo sim para nos exercitar!
6 - Podemos ler os livros que, quando estamos a trabalhar, não temos tempo para ler... e, quem está a estudar, finalmente tem tempo para estudar! Porque, verdade seja dita, trabalhar e estudar ao mesmo tempo não dá! Ou melhor... até dá, quando tem que dar... mas não é a mesma coisa...
7 - Temos tempo para ir a todos os médicos que nunca vamos porque não temos tempo...
8 - E, se depois de tudo isto, ainda tivermos tempo, sempre temos a casa para limpar! E quanto maior a casa, mais trabalho temos! (Aqui, para além da vantagem de estar desempregada, vemos a vantagem de se morar numa casa pequena! Quanto menor, melhor!) Limpar o pó, aspirar, passar a esfregona, limpar a casa de banho, a cozinha, a sala, os quartos... enfim... isto sem falar em quem ainda arruma tempo para cozinhar! Por isso, quando me perguntam: "O que você está a fazer agora que está desempregada?" eu respondo: "Muita coisa! Você nem imagina!"


...chegou a hora de "largar o casulo" e de arregaçar as mangas de vez... OU VAI OU RAXA!  
VOU ARRANJAR EMPREGO  :)

Sem comentários:

Enviar um comentário